Atômica, Creepshow, Blackdog, N. e 30 Dias de Noite

Selecionamos cinco excelentes obras publicadas entre 2017 e 2019 pela Darkside Books: Atômica – A Cidade Mais Fria, por Antony Johnston e Sam Hart; Creepshow, de Stephen King e Bernie Wrightson; Black Dog, de Dave McKean; N., de Stephen King, Marc Guggenheim e Alex Maleev; e a edição de 15 anos de 30 Dias de Noite (lançada pela primeira vez no Brasil pela Devir em edições em capa cartonada), de Steve Niles e Ben Templesmith. Confira as capas, sinopses e detalhes dos cinco volumes:

Atômica –
A Cidade Mais Fria

Berlim, outubro de 1989. O muro que dividiu a Alemanha está prestes a cair, feito uma peça de dominó que acabará derrubando também a União Soviética e a impenetrável Cortina de Ferro. A Guerra Fria parece chegar ao fim, mas o assassinato de um agente secreto inglês do MI6 com informações inestimáveis – uma lista que contém os nomes de todos os espiões que atuam em Berlim – deixa claro que os dois lados ainda têm muito o que esconder, como até hoje. Mas, junto ao corpo, não se encontra lista alguma. É nesse momento sombrio que entra em cena Lorraine Broughton, a veterana espiã fria e calculista vivida por Charlize Theron nos cinemas. E tudo começou nas páginas de Atômica – A Cidade Mais Fria, graphic novel escrita por Antony Johnston e ilustrada por Sam Hart, quadrinista inglês que mora no Brasil. Atômica é uma HQ com os melhores ingredientes de uma boa história de espionagem: ritmo tenso e uma trama que pode mudar a cada momento – no underground de Berlim Oriental, nada é exatamente o que parece -, e inclui um levante popular, contraespionagem, deserções que dão errado e assassinatos secretos. E o resultado foi tão bem recebido que Atômica já chegou ganhando o prêmio de melhor graphic novel pela Comixology no ano em que foi publicada. Como um segredo precioso demais para ser mantido, a obra acabou parando nas mãos de Charlize Theron. Em pouco tempo, a atriz comprou os direitos da graphic novel para adaptá-la junto com o diretor David Leitch. O filme aborda a história com uma pegada diferente, incluindo doses extras de pancadaria e sexo.

Autores: Antony Johnston e Sam Hart
Editora original: Oni Press
Conteúdo: The Coldest City (2012)
Estrutura: capa dura com 64 páginas
Data de lançamento: agosto/2017

Creepshow

A primeira HQ escrita por Stephen King! Tudo começou em 1982. King juntou forças com outro gênio das sombras, o diretor George A. Romero (A Noite dos Mortos-Vivos), para realizarem um filme inspirado em quadrinhos clássicos dos anos 1950, como Contos da Cripta, da EC Comics. O longa-metragem marcou a estreia de King como roteirista – e, curiosamente, sua segunda aparição como ator. Creepshow (que no Brasil ganhou o subtítulo Show de Horrores) se tornaria um cult movie instantâneo. E, no mesmo ano, Stephen King quis deixar ainda mais explícita sua homenagem à fonte original. Assim, ele adaptou seu roteiro de cinema para os quadrinhos, contando com a arte do magistral Bernie Wrightson, um dos criadores e primeiro ilustrador de O Monstro do Pântano, e capa de Jack Kamen, autor da EC Comics. A história em quadrinhos era a maneira perfeita para os fãs reviverem todos os pesadelos do filme em casa. Creepshow reúne cinco histórias de arrepiar, duas delas adaptadas de contos que King já havia publicado: “Weeds” e “The Crate”. Usando um decrépito narrador morto-vivo, o autor soube recriar o clima dos gibis malditos que o assustavam quando ainda era um adolescente rebelde no estado do Maine.

Autores: Stephen King, Bernie Wrightson, Michelle Wrightson e Jack Kamen
Editora original: Signet Books / Gallery 13
Conteúdo: Stephen King’s Creepshow (1982)
Estrutura: capa dura com 64 páginas
Data de lançamento: outubro/2017

Black Dog –
Os Sonhos de Paul Nash

Conhecido por sua colaboração com Neil Gaiman, Dave McKean assombra o universo dos quadrinhos desde a sua estreia nos anos 1980. Agora, nesta nova obra, o legendário multiartista traz uma graphic novel baseada na vida de Paul Nash, pintor inglês surrealista que combateu na Primeira Guerra Mundial. Black Dog – Os Sonhos de Paul Nash aborda, sobretudo, esse período delicado e determinante na vida do pintor, que iria marcar profundamente sua produção artística posterior, e compõe, através das lembranças de Nash e seus companheiros de batalha, um painel multifacetado e tocante sobre como a guerra e situações extremas nos modificam e como lidamos com toda a dor, a perda e o trauma que ela provoca. Paul Nash alistou-se no Exército britânico aos 25 anos de idade, seis semanas após o início do confronto, e engajou-se primeiro como soldado e mais tarde como oficial artista de guerra. Sobreviveu a muitos dos seus colegas soldados que tombaram nas trincheiras na Bélgica, retornou à sua Inglaterra natal modificado após as terríveis experiências que encarou, e encontrou um propósito para a morte e a destruição que atravessaram o seu caminho. A guerra forneceu-lhe algo a dizer. E o levou a criar pinturas poderosas, fantásticas, perturbadoras e que conseguem transmitir um vislumbre da loucura que a guerra produz em todos aqueles que participam dela. Uma citação recorrente sobre o artista afirma que “enquanto a grande maioria testemunhava as explosões ao redor, para Nash, as explosões aconteceram dentro dele”. Além do próprio pintor, o outro único personagem recorrente é o seu cão negro, que o acompanha, conduz e assombra desde a primeira infância, ainda que alterando a forma e a função a cada momento de sua vida. De forma sombria e arrebatadora, McKean transforma em imagens extremamente belas e poderosas as emoções registradas por Paul Nash sobre o conflito e o que resta àqueles que sobrevivem. Ninguém sai impune desta obra-prima.

Autor: Dave McKean
Editora original: Dark Horse
Conteúdo: Black Dog: The Dreams of Paul Nash (2016)
Estrutura: capa dura com 120 páginas
Data de lançamento: maio/2018

N.

N. é uma história pesada. Logo no começo, o leitor sabe que o dr. Bonsaint, um psicanalista, se suicidou e que sua irmã tenta entender os motivos que o levaram a essa atitude extrema. Dedicada a explorar os medos, as inseguranças e as obsessões dos personagens, a história avança por meio de documentos e relatos de Bonsaint, bem como das sessões de análise com N., um homem que sofre de grave problema de TOC (Transtorno Obsessivo-Compulsivo) e não consegue parar de procurar padrões em tudo que cruza o seu caminho. Aos poucos, os leitores vão se familiarizando com as origens do problema de Bonsaint e de N., conforme a obsessão do protagonista por uma formação de pedras no estilo de Stonehenge se aprofunda e o leva a um misterioso caminho sem volta. De forte e clara referência à atmosfera lovecraftiana, o conto é, segundo o próprio Stephen King, inspirado na novela O Grande Deus Pan, do escritor galês Arthur Machen (1863- 1947). Em uma espiral de ação psicológica que desafia a própria razão, o roteiro de Marc Guggenheim adapta a atmosfera sombria do conto de King, enquanto a arte de Alex Maleev incorpora as misteriosas palavras do rei do terror. Considerado um dos melhores contos de Stephen King, a sua adaptação para os quadrinhos impressiona pela mesma capacidade de criar pesadelos em seus leitores.

Autores: Stephen King, Marc Guggenheim e Alex Maleev
Editora original: Marvel Comics
Conteúdo: Stephen King’s N. (2010) #1 a 4
Estrutura: capa dura com 128 páginas
Data de lançamento: dezembro/2018

30 Dias de Noite –
Edição Comemorativa de 15 Anos

Uma vez ao ano, em uma pequena cidade isolada chamada Barrow, no extremo norte do Alasca, nos Estados Unidos, o sol se põe e não nasce por trinta dias seguidos. Entre as esquinas macabras, becos escuros e uma espessa cortina de neve, criaturas milenares aproveitam os trinta dias de noite para atacar os moradores da cidade sem medo e reprimir sua insaciável sede de sangue. Esses vampiros não são bonitos ou sensíveis. São brutais, desprezíveis, cruéis – animais que caçam e matam sem escrúpulos. Barrow é a cidade perfeita. Steve Niles e Ben Templesmith criam uma releitura moderna de uma figura icônica na cultura pop e faz seus personagens ficarem a um passo do abismo na luta pela sobrevivência em uma cidade fria, escura, isolada e favorável a predadores impiedosos. Entre elaboradas cenas de ação brilhantemente retratadas na arte cheia de camadas e referências de Ben Templesmith, Niles constrói relações humanas intensas e poderosas em meio à um verdadeiro banquete sangrento. Diante da morte inevitável, muito se revela. 30 Dias de Noite foi publicada originalmente em 2002 no formato de minissérie pela IDW e ganhou a atenção do público, chegando inclusive a ganhar uma respeitosa adaptação para os cinemas em 2007 por David Slade. E, para comemorar o aniversário de quinze anos, a história fundamental sobre o ataque que os vampiros fizeram à cidade de Barrow30 Dias de Noite, Retorno a Barrow e Dias Sombrios – ganhou uma edição definitiva em volume único, repleta de materiais especiais.

Autores: Steve Niles e Ben Templesmith
Editora original: IDW Publishing
Conteúdo: 30 Days of Night (2002) #1 a 3, Dark Days (2003) #1 a 6 e 30 Days of Night: Return to Barrow #1 a 6 (2004)
Estrutura: capa dura com 368 páginas
Data de lançamento: outubro/2019

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: