A Saga do Demolidor: HQs clássicas dos anos 1980

A Panini Comics lança este mês o primeiro volume de A Saga do Demolidor, publicação que compilará as histórias escritas pela roteirista Ann Nocenti, fase publicada originalmente nos EUA a partir de 1986 pela Marvel Comics, logo após o arco A Queda de Murdock, de Frank Miller, no título Daredevil.

As aventuras deste primeiro volume são quase todas inéditas no Brasil, trazendo na arte nomes como Barry Windsor-Smith, Sal Buscema, Louis Williams, Todd McFarlane, Keith Pollard, Bob Wiacek, Steve Leialoha, Al Williamson, Geof Isherwood, Al Milgrom, Danny Bulanadi, Chris Scheele, Bob Sharen e Petra Scotese. A capa é de Mike Zeck e Klaus Janson (Daredevil #241).

Uma das fases mais amadas do Demônio da Cozinha do Inferno retorna às mãos dos leitores brasileiros nessa nova coleção de encadernados! Todas as histórias da roteirista Ann Nocenti, sempre ao lado de grandes artistas, agora com um tratamento especial. Acompanhe o Demolidor em aventuras repletas de tensão e violência, na melhor tradição do que o gênio Frank Miller trouxe ao personagem!

Reúne Daredevil (1964) #236 e #238 a 242. Capa cartonada com 144 páginas.

Algumas observações:

Daredevil #250: Romitinha na arte

A fase de Ann Nocenti foi publicada no Brasil somente uma vez, a partir de 1988, em formatinho, na revista Superaventuras Marvel. Na época, a Editora Abril decidiu por não publicar algumas histórias iniciais da roteirista no título Daredevil, iniciando a partir do crossover com Wolverine (publicado em Grandes Heróis Marvel #22 – nesta coleção, no segundo volume de A Saga do Demolidor), dando realmente o start a partir de 1989, quando John Romita Jr. assume a arte a partir de Daredevil #250 – deste momento em diante, a Abril não pula mais nenhuma história. Romitinha fica até a edição #282 do Homem Sem Medo, entrando em seu lugar o desenhista Lee Weeks. Nocenti fica até a edição #291, dando lugar a D.G. Chichester, que ficou até a edição #332.

Depois assumiram os roteiros Gregory Wright (até a #337), Alan Smithee (Chichester novamente, mas com pseudônimo, até a edição #342), Warren Ellis (somente na #343), J.M. DeMatteis (a partir da #344), John Rozum (somente na #351), Ben Raab (na #352), Karl Kesel (a partir da #353), Joe Kelly (na #358 e a partir da #365), Scott Lobdell (#376 a 379), com Chichester retornando no último número do título (na edição #380, em 1998). Alguns arcos e histórias foram sumariamente ignorados pela Abril por talvez não serem lá as melhores histórias ou arcos (digamos assim) do Homem Sem Medo. Com o fim de Superaventuras Marvel (na edição #176), em 1997, as aventuras do Demolidor migraram para a Marvel 97, que começou a trazer as histórias com roteiros de DeMatteis – prosseguindo depois para a Marvel 98 e Marvel 99. Um parênteses aqui: entre as edições #344 e 351, o título Daredevil trouxe o selo Marvel Edge nas capas, uma marca que incluía os personagens mais ousados da Marvel, como Demolidor, Justiceiro, Motoqueiro Fantasma, Hulk, Doutor Estranho e Nick Fury, mas que teve a vida extremamente curta, durando de 1995 a 1996.

Daredevil (1998) #1: título reiniciado

Após o fim de Daredevil, ainda em 1998, o título foi reiniciado, agora sob o selo Marvel Knights, começando com a saga Diabo da Guarda, de Kevin Smith e Joe Quesada, publicada pela primeira vez no Brasil na revista Marvel 2000, pela Abril, ainda em formatinho. Com a chegada da série Super-Heróis Premium, a Abril passou a publicar as aventuras do Demolidor na novíssima encarnação da Grandes Heróis Marvel, agora em formato americano, publicando até Daredevil #13. A partir de Daredevil #14, o Homem Sem Medo estava em nova casa, na Panini, sendo publicado no título Marvel 2002. Depois disso, dividiu uma revista brasileira com o Incrível Hulk, ganhou (finalmente) título próprio, foi para a Marvel Action, depois para o título Universo Marvel, até chegar aos encadernados em capa cartão e na série Deluxe publicados pela Panini.

Portanto, voltando para A Saga do Demolidor, temos cerca de 50 histórias de Ann Nocenti para publicação nesta coleção. Se cada volume trouxer pelo menos seis histórias, teremos pelo menos oito encadernados. É bem capaz que a Panini estique a coleção, trazendo também histórias escritas por outros roteiristas.

2 comentários em “A Saga do Demolidor: HQs clássicas dos anos 1980

    1. Opa Allan, tudo bem? A fase da Ann Nocenti deve finalizar no volume 9. Depois disso entra o D.G. Chichester (que fica de Daredevil #292 a 332 e #338 a 342 – as edições #312 a 318 são inéditas no Brasil), que escreve uma fase muito boa também, como o arco A Queda do Rei do Crime e a estreia do/a elegante uniforme/armadura preto/a e vermelho/a no arco Caindo em Desgraça. Já a edição #343, inédita no Brasil, traz uma história escrita por Warren Ellis e que traz Matt Murdock sem uniforme – é uma história violenta que destoa do material que a Abril publicava na época e por isso deve ter ficado de fora. Mas seria interessante a Panini trazer. Depois disso, tem outras pérolas, mas material duvidoso também, como a fase de Scott Lobdell, inédita no Brasil, escrita no final do título (logo antes da estreia da fase Marvel Knights em Daredevil Volume 2, com Diabo de Guarda de Kevin Smith e Joe Quesada), em que as vendas desceram ladeira abaixo. Ainda não sabemos o que a Panini vai fazer – achamos difícil que ela finalizará a coleção com nove encadernados -, mas qualquer novidade, com certeza falaremos aqui. Abraços!

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: