Viajante de Cinza, Um Tal Daneri e mais dez obras

A Comix Zone! lança em junho e julho duas obras argentinas produzidas pela dupla Carlos Trillo (1943-2011) e Alberto Breccia (1919-1993): Viajante de Cinza e Um Tal Daneri. Confira as capas, detalhes e sinopses oficiais dos lançamentos e de outros dez álbuns já publicados pela editora:

Viajante de Cinza

Após uma fuga malsucedida, Cornelius Dark é enviado de volta para a prisão e, como castigo por seu comportamento, é colocado na solitária. Profundamente atormentado pelo isolamento, Dark vai utilizar a imaginação para escapar de sua terrível realidade e, desse modo, tentar manter a sanidade. Ele se tornará um viajante imaginário. Dark vai acessar projeções de momentos históricos marcantes e vai participar ativamente de acontecimentos que, sem afetar o curso natural da história universal, terá grandes consequências para ambas as partes envolvidas. Cruzado onírico, confidente, amante platônico, amigo: Cornelius Dark vai se tornar tudo o que a sua realidade o proíbe de ser. Publicado originalmente entre 1978 e 1980, Viajante de Cinza é uma obra de transição para o roteirista Carlos Trillo e o desenhista Alberto Breccia, que permite vislumbrar os processos pelos quais eles alcançaram as posteriores evoluções de seus ofícios. Esta edição compila todos os episódios existentes da série e visa respeitar ao máximo a arte original, o que, sem dúvida, oferece aos leitores uma oportunidade única de contemplar o bom trabalho de dois autores essenciais dos quadrinhos argentinos.

Autores: Carlos Trillo e Alberto Breccia
Estrutura: capa dura com 100 páginas
Data de lançamento: junho/2021

Um Tal Daneri

Daneri é uma espécie de detetive que foi importante em outros tempos e que agora perambula por ruas repletas de tristeza, desilusão e violência, guiando-se por um código moral próprio. Testemunha e cúmplice de enganos trágicos e paradoxos estranhos, ele se vê envolto em histórias em que o destino e a morte, o amor e a vingança, a coragem e a covardia se entrelaçam, borrando seus limites. Um Tal Daneri é a primeira colaboração entre dois autores inigualáveis: Carlos Trillo e Alberto Breccia. Publicadas originalmente entre 1974 e 1978, as histórias compiladas neste volume partem do gênero noir para estabelecer um jogo espetacular de ecos borgianos entre a ficção e a realidade da época, inevitavelmente marcada pela ditadura argentina.

Autores: Carlos Trillo e Alberto Breccia
Estrutura: capa dura com 68 páginas
Data de lançamento: julho/2021

Evaristo

Inspirados no célebre comissário da Polícia Federal argentina Evaristo Meneses, o roteirista de Alack Sinner, Carlos Sampayo, e o desenhista de O Eternauta, Francisco Solano López, constroem uma epopeia policial ambientada na Buenos Aires dos anos 1960, magistral na representação de seus personagens e no relato de seus crimes. Originalmente publicado nas revistas Superhumor e Fierro entre 1983 e 1987, esta é a primeira edição de Evaristo no Brasil.

Autores: Francisco Solano López e Carlos Sampayo
Estrutura: capa dura com 232 páginas
Data de lançamento: janeiro/2021

Um Conto de Natal – Uma História de Fantasmas

Um Conto de Natal é a história mais longa já produzida por Carlos Giménez em sua carreira e representa, sem dúvida, um de seus pilares mais sólidos. Como protagonista, temos o senhor Pablo que, às vésperas do Natal, não quer saber de celebrações sentimentais e nem dos cuidados da família. Ele não sabe, mas os três espíritos do Natal irão visitá-lo e obrigá-lo a reexaminar seu passado, seu presente e seu futuro. Junto com o solitário Pablo, os leitores se surpreenderão página a página com este resumo tão aprazível quanto impiedoso da vida e da obra do próprio Giménez. Livremente inspirado no clássico de Charles Dickens, Um Conto de Natal avança por uma nova galeria, recém-escavada e insolitamente ampla, na grande montanha que é o ciclo autobiográfico do autor.

Autor: Carlos Giménez
Estrutura: capa dura com 112 páginas
Data de lançamento: dezembro/2020

Buscavidas

“Por que viver a própria vida, se há tantas largadas por aí?” É o que se pergunta Buscavidas, um estranho colecionador de confidências, sempre disposto a escutar as histórias que atormentam os outros. Seja nos bares, no trem, no antiquário ou no meio da rua, ele mostra um talento especial para encontrar os protagonistas de anedotas e desventuras que cataloga e arquiva em sua biblioteca particular, testemunho de uma humanidade triste e desesperada. Publicado originalmente entre 1981 e 1984, Buscavidas nasceu da colaboração entre Carlos Trillo e Alberto Breccia, dois dos maiores nomes dos quadrinhos argentinos. Esta edição inclui a história Caleidoscópio, homenagem a Héctor Germán Oesterheld, que promove o encontro entre Buscavidas e os protagonistas de Mort Cinder.

Autores: Carlos Trillo e Alberto Breccia
Estrutura: capa dura com 148 páginas
Data de lançamento: novembro/2020

Paul Está Morto – Quando os Beatles Perderam McCartney

Londres, novembro de 1966. John Lennon não consegue falar. Olha fixamente a foto de um carro em chamas com o corpo de Paul McCartney no interior. Paul não está mais entre nós, e isso significa também o fim dos Beatles. Mas John quer saber a verdade e, com a ajuda de George e Ringo, começa a reexaminar as horas finais da vida de Paul. Situado na atmosfera mágica dos estúdios Abbey Road durante a composição de Sgt. Pepper, Paul Está Morto é a versão definitiva da lenda do óbito prematuro de Paul McCartney. Repleta de história, música e Beatlemania, esta ficção especulativa foi criada pelos italianos Paolo Baron e Ernesto Carbonetti.

Autores: Paolo Baron e Ernesto Carbonetti
Estrutura: capa dura com 120 páginas
Data de lançamento: setembro/2020

A Grande Farsa

Chega pela primeira vez no Brasil A Grande Farsa, obra fundamental das historietas argentinas. Esta edição integral compreende A Grande Farsa e sua continuação, O Iguana. Três décadas após seu lançamento, a obra-prima de Carlos Trillo e Domingo Mandrafina segue mais atual do que nunca e continua a denunciar as ondas totalitárias que regularmente acometem os países latino-americanos. Em uma república das bananas não tão imaginária assim, um ditador sanguinário mantém uma relação incestuosa com sua sobrinha, que finge ser uma virgem milagrosa para toda a população. Por causa de uma chantagem envolvendo fotos comprometedoras, a falsa santa pede ajuda a um ex-policial alcoólatra para evitar o desenlace de um enorme escândalo. E todos esses personagens temem a presença do sádico Iguana, torturador oficial do regime ditatorial em vigor. A Grande Farsa é uma amostra da incrível riqueza gráfica de Domingo Mandrafina e das inigualáveis habilidades narrativas de Carlos Trillo que, em 1999, e com este trabalho, ganhou o prêmio de Melhor Roteiro no Festival de Quadrinhos de Angoulême, na França.

Autores: Carlos Trillo e Domingos Mandrafina
Estrutura: capa dura com 224 páginas
Data de lançamento: agosto/2020

Paracuellos

Na Espanha franquista do pós-guerra, inúmeras crianças órfãs ou abandonadas cresceram em abrigos do Auxílio Social. Desamparadas e longe de suas famílias, os tempos são duros para elas e os momentos de alegria, raros. Pablito, Adolfo, Peribáñez e muitos outros aprenderão nessas difíceis condições o que é medo, crueldade e vingança, mas também amizade e fraternidade. Eles criarão laços indissolúveis que lhes permitirão tornar-se os homens do amanhã. Mestre da autobiografia, Carlos Giménez é o pai de uma obra repleta de humanidade que marcou gerações de autores que o seguiram. Paracuellos ganhou praticamente todos os prêmios de quadrinhos da Europa, incluindo Melhor Álbum no Festival de Angoulême em 1981 e o Prêmio do Patrimônio, na edição de 2010 do mesmo evento.

Autor: Carlos Giménez
Estrutura: capa dura com 208 páginas
Data de lançamento: julho/2020

Boca do Diabo

Inspirado pelo romance Billy Budd, de Herman Melville, esta graphic novel narra o recrutamento de um jovem ingênuo e talentoso pelo serviço secreto soviético e suas aventuras na cidade de Nova York como espião. A trama começa após a Segunda Guerra Mundial, quando um órfão ucraniano sem passado e sem identidade além de um lábio leporino, que lhe vale o apelido de “boca do diabo”, é acolhido e treinado pela KGB. Duas décadas depois, ele chega aos Estados Unidos para levar uma vida dupla. Operando sob o nome de Billy Budd, ele concilia suas tarefas de espionagem com seu trabalho como operário, construindo arranha-céus. O resgate de um colega de trabalho e a amizade resultante levam o agente na direção de uma existência espiritual, uma possibilidade anteriormente inimaginável. Mas seria Billy capaz de escapar dos seus senhores soviéticos?

Autores: François Boucq e Jerome Charyn
Estrutura: capa dura com 132 páginas
Data de lançamento: junho/2020

Sherlock Time

Sherlock Time foi o primeiro trabalho conjunto de dois dos maiores criadores dos quadrinhos argentinos, o roteirista Hector Germán Oesterheld e o desenhista Alberto Breccia, que anos depois viriam a produzir Mort Cinder, O Eternauta 1969, Che – Os Últimos Dias de um Herói, entre outros. Sherlock Time foi originalmente publicado na revista Hora Cero entre 1958 e 1959 e representou uma verdadeira revolução para o gênero. Esta é a sua primeira publicação no Brasil.

Autores: Héctor Oesterheld e Alberto Breccia
Estrutura: capa dura com 176 páginas
Data de lançamento: maio/2020

O Eternauta 1969

Influenciado por A Guerra dos Mundos de H.G. Wells, Héctor Germán Oesterheld publica, entre 1957 e 1959, O Eternauta. Nesse clássico dos quadrinhos mundiais, originalmente ilustrado por Francisco Solano López, acompanhamos a invasão de Buenos Aires por uma raça extraterrestre conhecida como “Eles”. Ao longo da trama, repleta de reviravoltas e personagens incríveis, o protagonista Juan Salvo resiste a alienígenas, viaja no tempo e, apesar de si mesmo, se torna o legatário final de toda a humanidade. Dez anos depois, em 1969, à convite da revista Gente, Oesterheld se debruça novamente sobre seu magnum opus e nos oferece um remake abrangente. Os desenhos desta nova versão ficam a cargo do uruguaio Alberto Breccia, com quem Oesterheld havia colaborado em outras obras, como Mort Cinder e Sherlock Time. O autor não apenas muda a história em detalhes, dando a ela um tom político mais acentuado, como o estilo surreal de colagem de Alberto Breccia cria um mundo totalmente novo, mais sombrio e distópico. O Eternauta 1969 não é apenas uma grande obra de ficção científica, é um documento contemporâneo de alta tensão da esquerda argentina do final dos anos 1960, finalmente publicado no Brasil.

Autores: Héctor Oesterheld e Alberto Breccia
Estrutura: capa dura com 68 páginas
Data de lançamento: outubro/2019

A Canção de Roland

Roland e Lisette, os sogros de Paul, se mudam para Quebec para aproveitar sua aposentadoria, mas pouco tempo depois, Roland adoece. Batizado pela mídia de “Tintin do Quebec”, Paul é o alter ego de Michel Rabagliati, um dos maiores nomes dos quadrinhos canadenses contemporâneos. Em A Canção de Roland, seu primeiro álbum publicado em português, o autor compartilha uma história pessoal e comovente sobre a perda de um ente querido e a importância da família. A trama reflete ainda sobre as mudanças e as incertezas trazidas pelo novo milênio, e discute questões políticas como a independência do Quebec e a desilusão coletiva pós-referendo de 1995. Vencedor do Prêmio do Público do Festival de Angoulême em 2010, além do Prêmio Doug Wright de melhor livro, A Canção de Roland valeu a Rabagliati o Prêmio Joe Shuster de melhor autor.

Autor: Michel Rabagliati
Estrutura: capa dura com 192 páginas
Data de lançamento: julho/2019

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: